Protocolo de consulta

O que mesmo é esse bicho? No mês passado quando o encontro ocorreu em Nuquini, cujo objetivo foi esclarecer a população sobre o Protocolo de Consulta Previa Livre e Informada, pois vivemos na Resex, e o documento 169 nos respalda a sermos consultados sobre os assuntos e ações a serem desenvolvidos em nosso território.

E agora que rumo seguir? Nos dias 24,25 e 26 de outubro o STTR- Santarém e seus parceiros estarão reunidos na comunidade N. S. do Rosário, com os comunitários de Samaúma até Paranapixuna. 

No primeiro dia houve uma explanação do STTR / STM, no sentido de relembrar as lutas e conquista do povo ribeirinho nos últimos 20 anos. Através de palestras e vídeos os participantes se fascinaram com o histórico que estava obscuro pelo tempo.

Neste encontro agora foi trabalhado o porquê da consulta, quando é necessário e  a forma pela qual queremos ser consultados. Quem será consultado. Infelizmente nem todos concordam com a proposta, ainda acham que qualquer pessoa pode chegar fazer o que bem entender e ir embora. Nosso povo aprova as normas e depois pisa em cima. Pensam que “o que Deus Criou não se acaba”, hoje vivemos uma escassez de animais silvestre e peixes.

A preocupação das entidades que gerenciam os destinos do povo que habita a Reserva Extrativista Tapajós Arapiuns e dos comunitários é quanto aos grandes empreendimentos que aparentemente trazem benefícios as comunidades locais mas que na verdade apenas sugam o potencial existente e vão embora deixando o rastro de destruição na natureza para as pessoas que aqui continuam.

Monitoramento na Resex Tapajós Arapiuns

Há vários anos o Instituto Chico Mendes de conservação da Biodiversidade, ICMBio, está realizando em parceria com o Instituto Ipê e Tapajoara o monitoramento de borboletas, aves e animais silvestre. Os monitores são pessoas das próprias comunidades treinadas para atuarem na função. Hoje sabemos por estimativa que população é maior, qual a mais consumida dentro do território das comunidades e na área total da reserva.  Tudo isso com pessoas simples que visitam as casas dos vizinhos